Um projecto de:

Frontispício e Ilustrações de Myths from Inner Portugal - Viseu

Autor John C. Adams
Data 1755
Nº de Catálogo #015
Propriedade Michel Albasini

Contextualização

A obra "Myths from Inner Portugal - Viseu" foi escrita em 1755 por John C. Adams e publicada em Edimburgo na renomada Mythica Press, dando continuidade ao percurso do autor, que havia já elaborado similar catalogação para os territórios do Império Britânico. Esta seria a primeira parte de uma compendiação exaustiva sobre o território português, ao tempo governado pelo Marquês de Pombal, sendo Rei D. José. Aliás, considera-se unanimemente que a acção do período pombalino que mais tarde se reconheceu a nível urbanístico, e modelado nos exemplos da Europa central e do sul, se havia iniciado com um apelo mais britânico, de que esta obra seria exemplo cimeiro.

De facto e apesar de apenas se conhecer este volume, dos previstos 97, nota-se pelo tipo de método utilizado que se tinha na época tomado Portugal e seus territórios como marca original e difusora do que Hoje se afirma como "mitos urbanos" e cuja influência é superiormente sentida por exemplo, nos Estados Unidos da América. As ilustrações pertenceriam ao próprio autor, baseadas quer em recolhas orais quer, nalguns casos, em observação directas.

As páginas apresentadas afirma-se terem pertencido ao próprio Marquês do Pombal e terem-lhe sido oferecidas aquando da apresentação pública do livro, algures nas margens do Rio Pavia e durante a Feira Franca. Como é conhecido, a 1 de Novembro de 1755, ocorre o grande sismo que afectou Portugal e obrigou a obras de reconstrução de parte da capital bem como de outras áreas do país e alguns elementos mais conservadores e programaticamente ligados aos Jesuítas terão indicado que o terramoto era não apenas um sinal de desagrado pela obra dada à estampa, como o mesmo desagrado e suas consequências deveriam ser imputados ao Marquês - putativo impulsionador da mesma. Estes eventos poderão igualmente estar na base da expulsão dos Jesuítas de Portugal.

O Frontispício é a apresentação da obra com suas informações autorais, data e impressão.

A gravura da página 33 retrata "Os crocodilos dos túneis da Sé de Viseu" [The crocodiles living in the Cathedral Tunnels.]

A gravura da página 66 retrata "O Pé-Grande: habitante da Quinta do Fontelo" [The Big Foot: inhabitant of the Fontelo.]

A gravura da página 99 retrata "O avistamento do The Flying Dutchman no Rio Pavia" [The sighting of The Flying Dutchman in the Pavia River.]

Os erros das legendas das gravuras, de um inglês não muito correcto, devem-se talvez a uma outra teoria que declara M.A. um português da corte de D. José e expectável pintor régio (do qual não há registos) como autor das gravuras e das próprias legendas.



info@projectopatrimonio.com | Rua Silva Gaio nº29 3500-203 Viseu | 232 416 473 | 914 323 542
Todos os conteúdos são propriedade exclusiva da ANTROPODOMUS - Projecto Património, Lda.
A sua reprodução total ou parcial é expressamente proibida sem a respectiva autorização.
© ANTROPODOMUS - Projecto Património, Lda. 2012.